Artigos com a tag ‘campanha’

Vacinação contra gripe terá cobertura ampliada neste ano

A campanha nacional de vacinação contra a gripe que será realizada este ano irá incluir dois novos grupos para imunização: crianças entre seis meses e dois anos de idade, além de gestantes. A campanha de vacinação contra a gripe será realizada entre os dias 25 de abril e 13 de maio.

Este ano, quem tomar a dose estará imunizado contra o vírus da gripe comum e contra o vírus da gripe H1N1. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 80% das 23,7 milhões de pessoas estimadas – cerca de 19 milhões de pessoas.

A vacina é gratuita e será distribuída aos postos de saúde dos municípios pelo ministério. No dia 30 de abril, uma campanha nacional será realizada, a fim de mobilizar as pessoas para a necessidade de imunização. Este ano, o ministério da Saúde adquiriu 33 milhões de doses da vacina.

Veja a notícia completa no G1

81 milhões foram vacinados no Brasil contra gripe A

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, anunciou nesta quinta-feira (17) que 81 milhões de pessoas foram vacinadas em 2010 contra a gripe A (H1N1). O número, registrado às 9h da manhã, representa mais de 88% do público-alvo da vacinação, que é de 92 milhões de pessoas.

Os dados mostram que o governo conseguiu cumprir a meta de 80% de vacinação das pessoas que mais corriam risco de adquirir a doença. “É a maior vacinação que já aconteceu [na história do país]”, disse o ministro durante entrevista coletiva em Brasília.

Segundo Temporão, o Brasil foi o país que mais vacinou em termos percentuais a população contra o vírus A H1N1. “42% da população brasileira foi vacinada. O Brasil vacinou um número de pessoas praticamente igual à população da Alemanha”, disse.

O ministro também informou que a vacinação continuará nas cidades em que a meta não foi cumprida, e que novos dados sobre a vacinação ainda estão chegando ao ministério.

Veja a notícia completa no G1

Governo prorroga vacinação e inclui crianças de 2 a 4 anos

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, anunciou nesta sexta-feira (21) que crianças com idades entre 2 e 4 anos e 11 meses podem se vacinar contra a nova gripe a partir da próxima segunda-feira (24).

Até agora, apenas as crianças que tivessem entre seis meses e dois anos haviam sido imunizadas contra o vírus.

O ministro disse também que o fim da campanha de vacinação contra a gripe A (H1N1) foi adiado até o dia 2 de junho. Segundo o ministro, a vacinação está aberta para adultos com idades de 30 a 39 anos e gestantes, além das crianças. 

Fonte: G1

Campanha de vacinação se aproxima do fim sem atingir meta

A campanha de vacinação contra a gripe A (H1N1), que começou no dia 8 de março, chega ao fim nesta sexta-feira (21) e o estado de São Paulo se apressa para tentar vacinar mais 2,5 milhões de pessoas. Até agora, foram 13,5 milhões de pessoas imunizadas, de acordo com o último balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde no dia 13 de maio. A meta é atingir 16 milhões.

Nesta etapa, estão sendo vacinadas as pessoas que têm entre 30 e 39 anos, além dos demais grupos – chamados prioritários – que ainda não tomaram a vacina.

Veja a notícia completa no G1

Ministro da Saúde faz balanço da gripe A

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou nesta sexta-feira que em 2010 já foram registradas 361 internações por causa da gripe A (H1N1), conhecida como gripe suína, no território brasileiro. As internações ocorreram desde o dia 1º de janeiro até o dia 3 de abril. No período, ocorreu um total de 50 mortes, sendo que as mulheres representam 76% delas e as gestantes, 32%.

Ao todo, 47,5 milhões de pessoas receberam vacina contra a gripe suína no Brasil, o que, segundo o governo, representa 81% do público-alvo convocado inicialmente.

Entre os grupos prioritários, porém, a vacinação apresenta problemas. O objetivo do governo é que 80% das pessoas destes grupos sejam vacinadas, mas entre as gestantes o índice está em 63%, e, nos adultos de 20 a 29 anos, em 69%.

Veja mais na Folha Online

Vacinação atinge 30 milhões de pessoas

A vacinação contra a gripe A (H1N1) –a gripe suína– atingiu nesta terça-feira 30 milhões de pessoas, de acordo com balanço do Ministério da Saúde atualizado até as 15h30. O número corresponde a 40% das pessoas esperadas até o próximo dia 23: gestantes, pessoas com doenças crônicas, crianças de seis meses a dois anos de idade e população entre 20 e 29 anos. A meta é chegar a 80%.

A adesão das grávidas à campanha ainda está em 55%. Há uma semana, o percentual era de 44%. Há uma preocupação especial para que elas se vacinem porque a mortalidade pelo vírus entre elas foi 50% maior do que entre a população em geral no ano passado.

De acordo com uma pesquisa encomendada pelo Ministério da Saúde, 40% das pessoas que ainda não se vacinaram alegaram falta de tempo. Apenas 3% declararam que não querem ser imunizadas, e 7% têm medo da reação da vacina. O levantamento foi feito por telefone com 1.504 entrevistados em todo o país.

Grupos prioritários Data da vacinação
Trabalhadores da saúde e indígenas 08/03 a 19/03
Gestantes 22/03 a 23/04
Doentes crônicos 22/03 a 23/04
Crianças de seis meses a menores de dois anos 22/03 a 23/04
População de 20 a 29 anos 05/04 a 23/04
Campanha de vacinação do idoso (gripe comum) 24/04 a 07/05
População de 30 a 39 anos 10/05 a 21/05

 

Doenças crônicas para vacinação
Obesidade grau 3 (antiga obesidade mórbida) em crianças, adolescentes e adultos
Doença respiratória crônica desde a infância (ex: fibrose cística, displasia broncopulmonar)
Asma (forma grave)
Doença neuromuscular com comprometimento da função respiratória (ex: distrofia neuromuscular)
Imunodepresão por uso de medicação ou relacionada às doenças crônicas
Diabetes
Doença pulmonar obstrutiva crônica e outras doenças crônicas com insuficiência respiratória
Doença hepática (ex: atresia biliar, cirrose, hepatite crônica)
Insuficiência renal crônica, principalmente em doentes em diálise
Doença hematológica (ex: hemoglobinopatias)
Menores de 18 anos com terapêutica contínua com salicilatos (ex: doença reumática autoimune, doença de Kawasaki)
Síndrome Clínica de Insuficiência Cardíaca
Cardiopatia estrutural (ex: hipertensão arterial pulmonar e valvulopatia)
Cardiopatia isquêmica ou hipertensiva com disfunção ventricular
Cardiopatias congênitas cianóticas
Cardiopatias congênitas acianóticas (não corrigidas cirurgicamente ou por intervenção)
Miocardiopatia (dilatada, hipertrófica ou restritiva)
Pericardiopatia
Fonte: Ministério da Saúde

Os pacientes devem consultar o médico antes de tomar a vacina para esclarecer dúvidas e receber orientações.

Fonte: Folha Online

Vacinação está abaixo do esperado

A procura pela vacina está abaixo da expectativa das autoridades. Apenas metade das pessoas que deveriam ter sido vacinadas até agora tomou a dose. E, com a Semana Santa, muitos postos de saúde fecharam na quinta-feira (1º) e sexta-feira (2).

Em Brasília, foi ponto facultativo. Muita gente aproveitou a folga e foi ao posto de saúde. Mas não adiantou sair de casa. A unidade estava fechada. “Hoje que tive uma folga, tirei para levar meu filho para vacinar. Aí chego aqui e o portão está fechado”, reclama um homem.

Na capital federal, até agora, a vacinação contra a gripe A (H1N1) atingiu 40% da meta. No Maranhão, mais de 67% das crianças de até um 1 ano e onze meses foram vacinadas. Metade das gestantes também. No Paraná, a vacinação atingiu 63%. Mas, em outros estados, o movimento nos postos de saúde tem sido menor. No Rio de Janeiro, não chegou à metade do esperado. 

No Rio Grande do Sul, o índice total é de 10%. No Amazonas, a vacinação ainda vai começar em 26 cidades que ficam longe de Manaus e a viagem de barco é demorada. Continuar a leitura »

Vacinação contra a gripe A pode ter campanha prorrogada

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, admitiu nesta quarta-feira a possibilidade de o governo prorrogar a campanha de vacinação contra a gripe H1N1, caso a meta de imunização não seja alcançada.

“Estamos no início, mas nossa meta é de 80 por cento da população alvo. É evidente que tudo que acontecer nesse caminho que nos afaste dessa meta vamos ter que repensar. O que queremos é proteger a população”, disse Temporão à Reuters.

“Nós podemos fazer qualquer coisa. Fazemos reuniões semanais avaliando e refinando os dados. Se, em algumas regiões, a cobertura deixar a desejar, vamos fazer um esforço para ampliar a cobertura”, acrescentou o ministro da Saúde.

Temporão ressaltou que as pessoas que estiverem viajando para fora do país ou que tenham problemas graves que as impossibilitem de ir aos postos de saúde também poderão ser vacinadas fora dos prazos fixados pelo ministério.

Veja mais no UOL

Gestantes, crianças pequenas e portadores de doenças cronicas começam a ser vacinados contra a gripe A

Grávidas, crianças de seis meses a dois anos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e cardiopatias, passam a ser vacinados a partir de segunda contra a gripe A (H1N1) –a gripe suína. Elas devem procurar unidades básicas de saúde.

Será o início da segunda etapa da campanha no país, que vai até 2 de abril. Na primeira, que começou no dia 8 e acabou ontem, foram vacinados indígenas e trabalhadores da saúde.

A meta do governo é vacinar 80% das pessoas em grupos de risco, ou seja, com mais chances de ter a forma grave da doença. São 73 milhões.

As grávidas e as crianças pequenas também entram no grupo de risco em razão de recomendações da OMS e com base na observação da morbidade da doença no seu primeiro ano –2009. No Brasil, pelo menos 156 gestantes morreram. Continuar a leitura »

Perguntas e respostas sobre a vacinação contra a gripe A(H1N1)

1) O que é influenza A (H1N1)?
É uma doença respiratória aguda , causada pelo vírus pandêmico (H1N1) 2009. Este novo subtipo do vírus da influenza, do mesmo modo que os demais, e é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou espirro e do contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas.

2) O que significa H1N1?
As letras correspondem às duas proteínas da superficie do vírus: H: Hemaglobulina e N: Neuraminidase . O numero 1 corresponde a ordem em que cada uma das proteínas foi registrada, significando que ambas as proteínas tem semelhanças com os componentes do vírus que já circulou anteriormente, quando da pandemia de 1918-1919.

 3) Qual a diferença entre a gripe comum e a influenza pandêmica (H1N1) 2009?
Elas são causadas por diferentes subtipos do vírus influenza. Os sintomas são muito parecidos e se confundem: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. Por isso, ao apresentar estes sintomas, seja pela gripe comum ou pela nova gripe, deve-se procurar seu médico ou um posto de saúde.

 4) Esse vírus influenza pandêmico (H1N1) 2009 é mais violento e mata mais do que o vírus da gripe comum?
Até o momento, o comportamento da nova gripe se assemelha ao da gripe comum. Ou seja, o vírus pandêmico (H1N1) 2009 não se apresentou mais violento ou mortal, na população geral. A maioria absoluta das pessoas que adoece, seja pela gripe comum, seja pela gripe pandêmica, desenvolvem formas leves da doença e se recuperam, mesmo sem uso de medicamentos. Para ambas as gripes pessoas com doenças crônica, gestantes e crianças menores de dois anos são mais vulneráveis. Mas quando consideramos a população jovem previamente saudável, este vírus pandêmico tem um maior potencial de causar doença grave, quando comparado com o vírus da gripe comum. Por outro lado, o vírus pandêmico tem acometido menos as pessoas maiores de 60 anos. Mas ainda são necessários estudos mais aprofundados que estão sendo realizados, em todo o mundo, para esclarecer o comportamento do novo vírus.

 5) Qual vacina será utilizada contra o vírus influenza pandêmica (H1N1) 2009?
O Ministério da Saúde adquiriu as doses de três laboratórios: Glaxo Smith Kline (GSK), SANOFI Pasteur (em parceria como Instituto Butantan) e Novartis. Esses laboratórios são fornecedores de vacinas para todos os países. Continuar a leitura »

Por quê este site?

Pulmões de fumante e de não-fumante

Diariamente atendo pacientes em fase final de doenças pulmonares. Alguns com câncer de pulmão, muitos com enfisema e bronquite crônica. Vejo neles o sofrimento causado pelo cigarro e o arrependimento por não ter parado antes.

Além de ajudar as pessoas a parar de fumar, acredito ser também dever do médico participar do processo de informação e educação continuada da comunidade.

Pare de fumar e ajude alguém a parar. Enquanto é tempo.

Enquete

Se você parou de fumar, como conseguiu?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Calculadora de cigarros
Número de anos em que você fuma ou fumou:


Média diária de cigarros fumados:


Preço médio de um maço de cigarro:

Use "ponto" para separar os centavos.