Arquivo de junho de 2009

Etnia negra tem 5 vezes mais chance de desenvolver câncer de pulmão

População negra tem mais chances de desenvolver câncer de pulmão

População negra tem mais chances de desenvolver câncer de pulmão

A população negra brasileira que fuma tem até 5,21 vezes mais riscos de desenvolver câncer de pulmão do que os brancos fumantes. A constatação é de uma pesquisa realizada pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), que foi apresentada no Congresso Europeu de Pneumologia.

O câncer de pulmão é considerado o de maior mortalidade no mundo. Cerca de 90% dos casos estão relacionados ao consumo excessivo ou à exposição passiva ao tabaco. Para realizar o estudo, os pesquisadores da Unicamp avaliaram 464 pessoas, sendo 200 portadoras de câncer de pulmão e 264 saudáveis e não fumantes.

Segundo o pneumologista Lair Zambon, autor do estudo, a maioria dos negros avaliados apresentou uma mutação no gene CYP1A1*2A que é capaz de potencializar a ação dos componentes carcinogênicos presentes no cigarro, especialmente o benzopireno -substância altamente cancerígena.

Veja o artigo completo na Folha Online.

Obama muda lei que limita atuação da indústria do cigarro

O presidente dos EUA, Barack Obama, assinou nesta segunda-feira (22/06/09) uma lei histórica que dá ao governo amplo poder regulatório sobre os cigarros e outros produtos oriundos do tabaco.

Obama, que afirmou ter começado a fumar quando adolescente, disse que a lei vai limitar a capacidade da indústria do tabaco de fazer propaganda de seus produtos para as crianças.

“Ela vai forçar as companhias a informar mais clara e publicamente sobre os efeitos nocivos e mortais dos produtos que eles vendem”, disse Obama. Ele acrescentou que sabia pessoalmente como é duro para as pessoas pararem de fumar. Continuar a leitura »

Influenza A(H1N1): novos casos confirmados

O Ministério da Saúde confirmou mais 49 novos casos de Influenza A (H1N1) no Brasil, neste sábado (20). Os novos infectados estão em São Paulo (25),  Rio de Janeiro (11), Distrito Federal (7), Paraná (2), Rio Grande do Sul (2), Bahia (1) e Minas Gerais (1)  .

Com os novos casos, o número de pessoas com a nova gripe no Brasil chega a 180 até esta data.

Brasil tem casos autóctones de gripe A (H1N1)

O Ministério da Saúde confirmou, nesta quarta-feira (17), mais 17 casos de influenza A (H1N1) no Brasil, elevando para 96 o número de pessoas contaminadas no país. Os novos casos estão em São Paulo (7) , Santa Catarina (5), Minas Gerais (3) e Rio de Janeiro (2). Dois dos novos infectados pegaram a doença dentro do Brasil e são pessoas próximas a outros infectados que vieram do exterior.

Os 96 casos confirmados são nos estados de São Paulo (34), Santa Catarina (24), Minas Gerais (14), Rio de Janeiro (13), Tocantins (4), Distrito Federal (3), Mato Grosso (2), Bahia (1) e Rio Grande do Sul (1).

Segundo o ministério, existem ainda 80 casos suspeitos de influenza A (H1N1) no Brasil, que estão sendo acompanhados. Já foram descartados 510 casos suspeitos.

Dos 18 casos autóctenes (quando a contaminação se dá no país), as pessoas contaminadas mantêm contato próximo com doentes infectados no exterior. Por essa razão, o ministério considera que a transmissão no Brasil é limitada.

Fonte: Folha Online

Pandemia de gripe A já tem 69 casos no Brasil

O Ministério da Saúde divulgou neste domingo (14) a confirmação de mais 11 registros de infecção pelo vírus Influenza A (H1N1) no Brasil.

São sete novos casos em Santa Catarina e outros quatro em Minas Gerais. Todos são de pessoas infectadas no exterior. Ao todo, o Brasil já registra 69 casos da doença. Outros 70 casos suspeitos estão em observação pelas autoridades de saúde.

A nova gripe foi classificada na quinta-feira (11) como “pandemia” pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Até o momento, 81 países têm casos confirmados da doença e em 35 há registros de transmissão dentro do país.

Segundo a OMS, no entanto, apenas México, EUA, Canadá e Austrália (Estado da Victoria) são considerados países com transmissão sustentada da Influenza A (H1N1).

OMS prestes a declarar pandemia da gripe H1N1

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está prestes a declarar a existência da primeira pandemia de influenza em mais de 40 anos, mas quer garantir que os países estejam bem preparados a fim de evitar pânico, disse o principal especialista em gripe da organização na terça-feira.

Keiji Fukuda, diretor-geral assistente da OMS, expressou preocupação com a disseminação sustentada da nova cepa H1N1 – incluindo mais de mil casos na Austrália – após surtos importantes na América do Norte, onde surgiu a gripe em abril. Continuar a leitura »

Dicas úteis para parar de fumar

Planeje
Determine um dia em que você vai parar e crie um plano de ação para chegar lá. Depois que você parar, não fume – NEM UMA TRAGADA!

Procure ajuda
Pesquisas mostram que você tem uma maior chance de conseguir parar de fumar se tiver ajuda. Sua família e amigos podem oferecer apoio para ajudá-la a lidar com acontecimentos que aumentem sua ansiedade e sua vontade de fumar.

Mude sua rotina
Inclua ginástica na rotina diária e procure controlar o stress de maneiras saudáveis.

Consiga medicamentos e use corretamente
O Ministério da Saúde aprovou diversos medicamentos, como reposição de nicotina, que ajudam a parar de fumar. Consulte seu médico sobre o assunto.

Esteja preparado
A maior parte das recaídas ocorre nos três primeiros meses depois de parar e a maior parte das pessoas tenta diversas vezes antes de finalmente conseguir largar o cigarro. Tente evitar situações “tentadoras”, como beber ou sair com fumantes.

Brasil já tem 35 casos de gripe H1N1

O Ministério da Saúde confirmou neste sábado quatro novos casos de gripe H1N1, elevando para 35 o número de infectados pela doença no país. Em um dos novos casos, houve a contaminação de pessoa para pessoa. Os novos casos foram confirmados nos estados de Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins, de acordo com comunicado do ministério.

Dois deles são de pessoas que estiveram no exterior. Os pacientes, um do Rio de Janeiro e outro de São Paulo, estão em isolamento domiciliar e passam bem. Em outro caso, a forma de contaminação do paciente está sob investigação, já que a pessoa esteve no exterior e também teve contato próximo com outra pessoa diagnosticada com a doença. O paciente, de São Paulo, está em isolamento domiciliar e passa bem. No Tocantins, a contaminação se deu por contato com outra pessoa que havia sido infectada no exterior. O paciente está em isolamento domiciliar e passa bem.

Fonte: G1

Garçons não fumantes tem níveis altos de monóxido

Sem colocar um cigarro na boca, garçons que trabalham na noite de São Paulo têm níveis de monóxido de carbono no organismo que alcançam os de fumantes. Uma equipe do Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod) usou um monoxímetro, o “bafômetro do cigarro”, para testar o grau de exposição desses trabalhadores às substâncias nocivas do cigarro.

Três garçons e uma garçonete que trabalham no bar e restaurante Na Mata Café, no Itaim Bibi, na Zona Sul de São Paulo, participaram do teste, realizado na noite de quinta-feira (4). Nenhum deles fuma e, apesar disso, todos tiveram o nível de monóxido de carbono aumentado depois de algum tempo de trabalho – e muita exposição à fumaça do cigarro dos clientes. Alguns atingiram níveis observados em fumantes.

Veja a notícia completa no G1

Por quê este site?

Pulmões de fumante e de não-fumante

Diariamente atendo pacientes em fase final de doenças pulmonares. Alguns com câncer de pulmão, muitos com enfisema e bronquite crônica. Vejo neles o sofrimento causado pelo cigarro e o arrependimento por não ter parado antes.

Além de ajudar as pessoas a parar de fumar, acredito ser também dever do médico participar do processo de informação e educação continuada da comunidade.

Pare de fumar e ajude alguém a parar. Enquanto é tempo.

Enquete

Se você parou de fumar, como conseguiu?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Calculadora de cigarros
Número de anos em que você fuma ou fumou:


Média diária de cigarros fumados:


Preço médio de um maço de cigarro:

Use "ponto" para separar os centavos.